O VALOR DAS COISAS INÚTEIS | Futuro da Economia

O VALOR DAS COISAS INÚTEIS




O VALOR DAS COISAS INÚTEIS


     A doutrina cardinal de Tomás de Aquino interpreta o valor de um bem pela justiça no ato da troca. A bem da verdade, o conceito de troca avançou no sentido abstrato, mesmo com a utilidade marginal tendo fornecido novos entendimentos, ainda assim, novos elementos foram descobertos.
     A noção de valor margeia o pensamento filosófico desde Aristóteles e nada mais proposital do que cunhar o elemento tempo como medida determinante no valor de qualquer bem físico ou não. A velocidade do tempo e o consumo, juntos,  derrubaram por terra o debate histórico sobre a formação do preço. A troca não se faz mais pelo juízo  dos fatores econômicos agregados, é a noção momentânea da inutilidade, pela presença do fator tecnológico, que imprime o valor de qualquer coisa. O que dizer, em outras palavras, é quando alguma coisa foi produzida já se tornou obsoleta.












POLITICA DE PRIVACIDADE
Futuro da Economia | Todos os direitos Reservados | Desenvolvido por RIOBRASIL